Sistema complexo afasta eleitor da política, diz ex-ministro do TSE

O Brasil ainda esbarra na falta de compreensão da população sobre o sistema eleitoral para que exista uma cultura de respeito e valorização do voto no país. Essa é a avaliação de Walter Costa Porto, professor titular de direito da Universidade de Brasília (UnB) e ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “O que falta é a educação, também, para o voto”, afirma Porto.

Leia mais:
Tudo que você precisa saber sobre as eleições 2016 em 8 passos
Candidatos vão precisar de criatividade nas eleições 2016
4 endereços virtuais para conhecer melhor o seu candidato

Um dos maiores estudiosos sobre a história do voto no país, Porto aponta como causa principal do afastamento da população da política o complexo sistema proporcional para a escolha de deputados e vereadores.

Adotado em 1932, ele faz com que os eleitores não saibam que podem votar em um candidato e eleger outro do mesmo partido ou coligação (entenda como funciona o sistema proporcional aqui). “Para a permanência desse modelo, deveria haver uma grande campanha educativa, uma explicação do voto proporcional, para que ele se cumpra como foi idealizado”, defende o jurista.
c0411221-5dec-485b-bdbd-694e0ac60a8bPorto usa como exemplo dessa falta de compreensão o caso do deputado Enéas Carneiro (falecido em 2007), que teve mais de 1,5 milhão de votos nas eleições de 2002 e levou consigo outros cinco candidatos do antigo Prona, sendo que o último deles recebeu apenas 275 votos. O caso inusitado causou revolta nos principais jornais do país. “Mas o que nem os cultos sabiam é que o deputado não fora eleito com seus 300 votos, mas, sim, com o 1,5 milhão de votos alcançados pelo seu partido”, recorda.

Apesar dessas distorções, o ex-ministro aponta diversos progressos na consolidação do voto como principal instrumento da democracia no país. “O principal avanço significativo foi, como ocorreu nos demais países, o alargamento do eleitorado e a eliminação das fraudes”, diz Porto, em referência à adoção do voto universal, sem distinção de gênero, renda, raça ou instrução.

Já fez o nosso Quiz? Clique aqui e descubra sua orientação política

Vote Bem

O voto é o mecanismo mais poderoso da democracia. É com ele que escolhemos quais serão os representantes de nossos ideais na política.

Saiba mais

Como Votar Bem

Aqui você encontra ferramentas, conteúdos e dicas sobre eleições, voto e processo eleitoral. Coloque em prática seu papel de cidadão consciente.

Saiba mais

Vídeos

Assista aos vídeos produzidos para a campanha Vote Bem.

Saiba mais

Movimento Vote Bem